Testando post

4 de jul de 2017

Começou com a cor do cabelo durante uma conversa trivial. Lembro que ainda era a primeira semana que tínhamos nos encontrado. Falando sobre gostos, comentei que um dia pintaria os cabelos de vermelho, pois sou bem despojada quanto a aparência. Era uma sexta-feira e estávamos no celular.

Ele logo falou num tom bem firme:

“Não gosto de mulheres que chamam a atenção. Cabelo vermelho é para mulheres que se expõem, me lembra mulheres sem vergonha, coisa ruim. Não vamos dar certo, não quero isso para mim, é meu direito.”
Assim, desligou o telefone e foi a primeira vez que meu coração acelerou por medo de ficar sem contato com aquele que na minha imaginação era um príncipe encantado.
Em qualquer outra ocasião, diria que realmente é direito dele mandar na cor e corte de cabelo de uma mulher, assim como também é direito dela aceitar ou não a imposição.

Mas, num ímpeto de carência, constatando o quanto eu precisava trabalhar minha autoestima, acabei por ir atrás e desfazer o mal-entendido.  

Retornei a ligação e disse:

“Olha, eu não pintarei meu cabelo de vermelho. Acho legal, mas se isso te incomoda, jamais farei. Quero me arrumar para ti, logo, pintarei conforme o TEU gosto.”
Não consigo entender como uma mulher graduada, bem resolvida, leitora assídua, consegue ter esse posicionamento. E o pior: não via nada de errado em me doar assim. Para mim, era um gesto de amor.
Nas semanas seguintes, outros exemplos parecidos foram surgindo. Até ouvir: “mulher não anda na rua de noite.”

Post de teste, descrição e edicao

3 de jul de 2017

"Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo. E você pode evitar que ela vá a falência. Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você.

Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões.

Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.

Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza. Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos. Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós. É ter maturidade para falar “eu errei”. É ter ousadia para dizer “me perdoe”. É ter sensibilidade para expressar “eu preciso de você”. É ter capacidade de dizer “eu te amo”. É ter humildade da receptividade.

Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz. E, quando você errar o caminho, recomece. Pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.

*Jamais desista de si mesmo*

*Jamais desista das pessoas boas em sua vida*. 

Tecnologia do Blogger.
© Manual para Garotas - 2017 | Todos os direitos reservados.
Base de: Laís Portal | Personalizado por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo